segunda-feira, 11 de julho de 2016

Vem aí... o IV Congresso do Sindicato dos(as) Servidores(as) Públicos(as) Municipais de Teresina – IV CONSERM

Em assembleia geral realizada no dia 6 de julho, os servidores públicos municipais aprovaram o regimento interno do IV Congresso do Sindicatodos(as) Servidores(as) Públicos(as) Municipais de Teresina – IV CONSERM, convocado pela diretoria do sindicato, conforme estabelecido no estatuto do sindicato.

O congresso será realizado nos dias 23 e 24 de setembro do ano de 2016, em Teresina, com local ainda a ser definida.  O IV CONSERM tem como objetivo fortalecer a organização democrática e independente dos trabalhadores e vai debater temas como a conjuntura; linha de ação para atuação do Sindicato; organização de Base e Desburocratização dos Sindicatos; reorganização dos Movimentos Sociais; entre outros.


Segue, abaixo, o regimento do IV CONSERM, aprovado em Assembleia Geral, realizada no Teatro de Arena, dia 6 de junho: 









quarta-feira, 4 de maio de 2016

Todos e todas à assembleia sexta, 6 de maio às 8:30 em frente à prefeitura.

video


Os vereadores de Teresina aumentaram o próprio salário e ganham mais de R$18000. Alguns secretários do prefeito Firmino Filho ganham mais de R$40000. Enquanto isso, o prefeito parcelou o reajuste em três vezes. Isso é calote! 3,5% não dá!
Todos nós, servidores de nível fundamental e médio da saúde, recebemos apenas R$698,00 de vencimento. E inda mais grave, é a situação dos servidores que trabalham 40h à mais por mês e recebem os R$698. Isso é um absurdo!
Nosso direito ao avanço na carreira não sai do papel. São só promessas e propaganda do prefeito. Mas o pior de tudo é falta de condições de trabalho. Nos CRAS e CREAS, onde a população mais carente vai em busca das políticas públicas, a situação é deprimente. Falta tudo, até cadeira.
Prefeito, esses problemas são graves e inadiáveis. É responsabilidade da sua gestão que os resolva para que a população tenha o serviço público que merece.
Todos e todas à assembleia sexta, 6 de maio às 8:30 em frente à prefeitura.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Servidores de Teresina marcam presença no 1º de Maio e denunciam salários de vereadores

A delegação do Piauí marcou presença no 1º de Maio da Avenida Paulista, em São Paulo, organizado pelo Espaço de Unidade de Ação. Vieram com dois ônibus cheios e a participação principal dos Servidores Públicos Municipais de Teresina em greve contra os baixos salários e o aumento salarial vergonhoso aprovado aos vereadores.

Os vereadores de Teresina aumentaram o próprio salário e agora ganham mais de R$18 mil. Alguns secretários do prefeito Firmino Filho ganham mais de R$40 mil. Por outro lado, os servidores de nível fundamental e médio da saúde, recebem apenas R$698,00 de vencimento. A categoria está em greve contra salários rebaixados e o reajuste de apenas 3,5% oferecido pela prefeitura, parcelado em três vezes.  

A categoria diz ainda a situação degradante dos servidores com as jornadas exaustivas de trabalho e denunciam a inexistência de plano de carreira. Reclamam das condições de trabalho, e quem mais sofre é a população pobre que depende dos serviços públicos.   Nesta sexta-feira (6), o Sindserm Teresina, Sindicato filiado à CSP-Conlutas, convoca a todos a assembleia para definir os rumos do movimento grevista iniciado no dia 1° de abril.



Ataques não são isolados

Os servidores públicos nos estados e municípios estão sofrendo os mesmo ataques provocados pelo ajuste fiscal implementado na esfera federal e distribuído pelos governos estaduais. Assim como os servidores de Teresina estão em luta, os educadores de Contagem r os servidores do Maranhão também estão enfrentando a dureza das gestões locais que querem aplicar o “golpe” com ataques aos direitos dos trabalhadores.  


É preciso denunciar essa política de arrocho, unificar nossas lutas e construir uma greve geral no país para barrar todos esses ataques.
   

Fonte: cspconlutas.org.br

domingo, 1 de maio de 2016

1º de Maio na Paulista | SINDSERM denuncia ataques aos servidores municipais de Teresina

O SINDSERM já está na Av. Paulista, um dos principais centros econômicos do país, para somar forças com milhares de outros trabalhadores, sindicatos, movimentos sociais, estudantis e populares, que buscam uma alternativa para a classe trabalhadora, diante desse cenário de crise econômica, corrupção e retirada de direitos. São milhares de trabalhadores, de todo o país, que tomaram a Avenida Paulista em defesa dos diretos e contra os ataques dos governos.

Estamos há mais de um mês em greve, fazendo denúncias diárias contra os ataques do Prefeito Firmino ao direito dos trabalhadores. Só que os ataques que sofremos não vêm apenas do Prefeitura. Existe uma política nacional de desvalorização dos servidores públicos e de privatização, que nos afeta diretamente. O Dia 1º de Maio na Paulista foi um movimento nacional, que reuniu diversos sindicatos e movimentos sociais do país, onde o objetivo comum era se contrapor a essa política de desvalorização e fortalecer a classe trabalhadora.







1º de Maio | Dia de Luta e Resitência

Nessa data, o SINDSERM saúda todos(as) os(as) Servidores(as) Públicos(as) Municipais de Teresina! A classe trabalhadora tem muitos motivos para não considerar esse 1° de Maio como dia de festa e sim como dia de luta. Uma data tradicional de mobilizações em todo o mundo, mas que neste momento adquire um caráter específico no Brasil diante aos ataques que os trabalhadores vêm sofrendo.
Força e ousadia para seguir firmes na luta!




terça-feira, 26 de abril de 2016

A GREVE CONTINUA! FIRMINO, A CULPA É SUA!

Negociação sem avanços.
A Prefeitura de Teresina não enviou nenhum secretário para dialogar com a categoria e apresentou apenas promessas. A categoria está reunida nesse momento, em frente a Prefeitura, debatendo os rumos do movimento. Não aceitamos promessas. Queremos respostas urgentes! Negocia, Firmino.



quarta-feira, 13 de abril de 2016

SERVIDORES MUNICIPAIS DE TERESINA ESTÃO EM GREVE DESDE O DIA 1º DE ABRIL

Os servidores públicos municipais de Teresina estão em greve desde o dia 1º de abril, contra as arbitrariedades do Prefeito Firmino Filho (PSDB) que, apoiado pelos vereadores da capital, aprovaram o reajuste da categoria parcelado, em três vezes. Efetivamente, o reajuste será de apenas 3,57%.  
A categoria, sobretudo, os setores administrativos não aceitam o parcelamento do reajuste. “Existe uma crise instalada no país, que não foi provocada ou gerada por nenhuma de nós trabalhadores. Não participamos dos escândalos de corrupção, não estamos sendo investigados pela Operação Lava, nem fomos citados na lista da Odebrecht, como o Firmino. Por isso, não aceitamos pagar por essa crise”, afirma Letícia Campos, presidente do SINDSERM.
A greve já atinge setores administrativos dos Postos de Saúde, Unidades Básicas de Saúde, Laboratório Raul Bacelar, Centros de Apoio Psicossocial, assim como os fiscais de transito, assistentes sociais e motoristas do Núcleo de Transportes da Fundação Municipal de Saúde.
O impacto do parcelamento nas contas dos servidores será alto. De acordo com a economista Verônica Paraguassú, que fez um levantamento econômico analisando a perda salarial que os trabalhadores terão a partir desse parcelamento proposto pelo Prefeito, o cenário será de mais perdas.
O estudo concluiu que, com o parcelamento do reajuste de 10,7%, os servidores enquadrados nas Classes A e B (em qualquer dos níveis) terão uma perda anual de R$ 341,28. Já os servidores enquadrados na Classe C terão perdas de R$ 370,11 à R$ 429,06, de acordo com o nível.
“Para nós, isso é uma perda enorme e só demonstra o total desrespeito do Prefeito Firmino Filho com o servidor municipal. Por isso não aceitamos esse parcelamento e vamos manter a greve até que o prefeito reverta essa medida arbitrária”, finaliza Letícia Campos.




terça-feira, 5 de abril de 2016

NÃO AO PARCELAMENTO! REAJUSTE INTEGRAL, JÁ!

Na mídia, o Prefeito Firmino Filho (PSDB) divulga reajuste de 10,7% para os servidores municipais, só que esse reajuste é parcelado em três vezes e, na prática, só receberemos 3,57% de reajuste. Além disso, nada garante que as demais parcelas sejam realmente pagas.
A categoria não caiu na manobra do prefeito e da Câmara Municipal de Teresina, que votaram o projeto as escondidas e em tempo recorde. Votamos a deflagração da greve e pelo reajuste salarial integral!
Na pauta de revindicações, também aprovamos a cobrança das Mudanças de nível, melhores condições de trabalho, regularização da jornada, entre outros pontos.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

NAS RUAS CONTRA AS MENTIRAS DOS GOVERNOS!

Os servidores públicos municipais de Teresina aprovaram GREVE GERAL contra a política de parcelamento do reajuste salarial anual da categoria. Nosso trabalho é integral e o reajuste também deve ser!
Saímos às ruas para denunciar as mentiras do Prefeito Firmino Filho e somar forças aos demais trabalhadores, que nesse 1° de Abril, estão denunciando os ataques e mentiras dos governos.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Com atraso, SEMEC divulga edital de convocação das eleições para diretores (as) de escolas e CMEIs

Desde o ano passado, o SINDSERM vem pressionando a Prefeitura e a Secretaria de Educação para a realização das Eleições para Diretores de Escolas no tempo correto e de forma democrática. Mesmo com muito atraso, demonstrando um completo desrespeito com a autonomia das escolas, a eleição foi marcada para acontecer dia 8 de abril.

Hoje, a Prefeitura divulgou o edital de convocação da eleição, mas o acesso ao conteúdo não está tão acessível (veja no link abaixo). O prazo para inscrição das chapas já se encerra na próxima terça-feira, dia 8.


Por isso, é importante que cada trabalhador (a), em seu local de trabalho, busque, junto com a comunidade, escolher a melhor direção para sua escola. Vale lembrar que a eleição para direção de escolas e CMEIs é uma reivindicação antiga e uma conquista dos trabalhadores.


SEGUE LINK DO EDITAL: