sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Presidente da Comissão Eleitoral convoca reunião para este sábado, dia 03/12

O Presidente da Comissão Eleitoral, Leandro Reis, convoca todos os membros da CE, eleitos em Assembleia Geral da categoria, para reunião a ser realizada no dia 3 de dezembro, a partir das 8h30, na sede do SINDSERM.


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Comissão Eleitoral convoca reunião para este sábado, dia 26 de novembro.

A Comissão Eleitoral, através do presidente interino Miguel Arcanjo, convoca reunião para este sábado, 26 de novembro, às 9 horas, na sede do SINDSERM, afim de debater a seguinte pauta: informes sobre a semana de trabalho da Comissão Eleitoral.


sábado, 12 de novembro de 2016

ELEIÇÕES 2017 | Inscrições a partir do dia 14/11; Confira as regras e documentos necessários



De acordo com regimento aprovado em assembleia e divulgado neste blog, a partir do dia 14 de novembro as inscrições de chapa já podem ser realizadas na sede do Sindicato, em uma sala específica destina à Comissão Eleitoral. As inscrições seguem o prazo regimental e finalizam dia 14 de dezembro.

Vale lembrar que só poderá se candidatar aos cargos de direção do Sindicato dos (as) Servidores (as) Públicos (as) Munici pais de Teresina – SINDSERM o servidor (a) público (a) municipal de Teresina que tenha se associado com antecedência mínima de 03 (três) meses da realização das eleições, que esteja em dias com seus direitos sindicais e não ocupe cargos ou funções cuja nomeação e exoneração sejam a critério da administração pública municipal conforme o Art. 58º do Estatuto do SINDSERM.

De acordo com o regimento eleitoral, os candidatos devem compor chapas completas e registrá-las na sede da entidade até 30 (trinta) dias após a data da publicação do Edital das eleições obedecendo ao que se segue: 

I - Registro definitivo das chapas, com a nominata completa dos candidatos aos cargos da diretoria,
II - Os componentes das chapas deverão entregar à Comissão Eleitoral, os seguintes documentos:
a) termo de concordância (anexo II), assinado por cada candidato, contendo: nome completo, estado civil, endereço residencial completo; nº de telefone; endereço eletrônico, nº de matrícula, lotação e cargo; nº do RG e nº do CPF;
b) fotocópia dos documentos: RG, CPF, Contracheque e comprovante de residência;
III – Declaração de não ocupante de cargo ou função cuja nomeação e exoneração sejam a critério da administração pública.

ANEXOS PARA DOWNLOAD

ANEXO I (REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO DA CHAPA - NOMINATA):



ANEXO II (TERMO DE CONCORDÂNCIA):


ANEXO III (DECLARAÇÃO DE NÃO OCUPANTE DE CARGO A CRITÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO):

Comissão Eleitoral divulga Edital de convocação da Eleição do SINDSERM 2017/2019

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA E CONSELHO FISCAL DO SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE TERESINA – SINDSERM PARA O TRIÊNIO 2017/2019

Pelo presente edital, a Comissão Eleitoral devidamente eleita em Assembleia Geral Extraordinária ocorrida no dia 08 de Novembro de 2016 faz saber aos servidores públicos municipais de Teresina que no dia 15 de Fevereiro de 2017 será realizada eleições para a escolha da Diretoria e Conselho Fiscal do SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE TERESINA – SINDSERM, para o triênio 2017/2019, ficando aberto o prazo de 30 (trinta) dias para o requerimento de inscrição das chapas, contados a partir do dia 14 de Novembro de 2016, nos termos do Regimento Eleitoral aprovado em Assembléia Geral. As inscrições serão feitas na sede do Sindicato, localizado na Rua Quintino Bocaiúva, nº 446, Centro, Teresina – PI, das 8h às 12h, de segunda à sexta-feira. O requerimento para a inscrição dirigido à Comissão Eleitoral será assinado por todos os componentes das chapas concorrentes e deverá conter os nomes dos membros da chapa e os respectivos cargos aos quais se candidatarão, instruído com os seguintes documentos, de cada candidato: a) termo de concordância assinado por cada candidato contendo: nome completo, estado civil, endereço residencial completo, número de telefone, endereço eletrônico, número de matrícula, lotação e cargo, número do RG e do CPF, fotocópia dos seguintes documentos:RG, CPF, comprovante de residência, contracheque; declaração de que não ocupante de cargo ou função cuja nomeação e exoneração sejam a critério da Administração Pública. Os modelos da Ficha de Requerimento, do Termo de  Concordância e a Declaração, exigidos pelo regimento interno das eleições estarão disponíveis no endereço eletrônico: www.sindsermteresina.blogspot.com.br ou na sede do sindicato com Comissão Eleitoral.


Comissão Eleitoral divulga cronograma da eleição do SINDSERM

A comissão eleitoral divulgou hoje o cronograma da eleição para a próxima direção do SINDSERM. A partir desta segunda-feira, 14 de novembro, as inscrições de chapa já podem ser realizadas na sede do SINDSERM, em uma sala específica destinada à Comissão eleitoral.

Segue a baixo o cronograma:


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Servidores municipais aprovam regimento e elegem Comissão Eleitoral para a Eleição da nova direção do SINDSERM, triênio 2017-2019

#EleiçãoSINDSERM_2017 | Na última terça-feira, dia 08/11, em assembleia geral realizada no Teatro de Arena, Praça da Bandeira, os servidores públicos municipais de Teresina deram o primeiro passo para o processo eleitoral que deve eleger a próxima gestação do SINDSERM, para o triênio 2017-2019. Com ampla participação da base da categoria, foi aprovado o regimento eleitoral e também a comissão eleitoral, que irá elaborar o edital para reger o processo.
Segundo regimento aprovado em assembleia, a partir do dia 14 deste mês as inscrições de chapa já podem ser realizadas na sede do Sindicato, em uma sala específica destina à Comissão Eleitoral. As inscrições seguem o prazo regimental e finalizam dia 14 de dezembro. Depois desse período será iniciada a campanha das chapas e a eleição deve acontecer no dia 15 de fevereiro de 2017.
Todo esse processo será acompanhado e fiscalizado por uma comissão de servidores, eleita democraticamente na Assembleia Geral dos Servidores Municipais, realizada dia 08 de novembro e convocada especificamente para este fim.
A Comissão Eleitoral é formada por três membros titulares e um suplente. O presidente da Comissão é o psicólogo Leandro Reis, lotado na Secretaria de Assistência Social do município. Compõe ainda a comissão, Miguel Arcanjo e Mara Roberta. A pedagoga Andreia da Silva foi eleita suplente.



Preparar as mobilizações do dia 11 e fortalecer o 25 de novembro – Dia Nacional de Paralisação e Greves; por uma Greve Geral, já!

Fortalecer as lutas contra a PEC 241 (atual 55) e as reformas da Previdência e Trabalhista; em defesa de emprego e salários

Aqui em Teresina, para o dia 11 de novembro, o SINDSERM convoca os servidores municipais para somar forças em um Ato Público na Praça Rio Branco, centro da cidade. Dia 25 de novembro é dia de GREVE GERAL! Vamos parar o Brasil contra as reformas do Governo Temer.

Os ataques que a classe trabalhadora vêm sofrendo não são poucos. Para começar, o desemprego que atinge 22 milhões de pessoas segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). E o governo Temer pretende resolver essa crise retirando importantes direitos trabalhistas e sociais.



PEC 241 (atual 55) – A Proposta de Emenda Constitucional 241 (atual) congela em 20 anos o orçamento para serviços públicos, entre eles saúde e educação, assim como salários e carreira de servidores públicos. Se esta PEC estivesse sido aprovada há vinte anos, o salário mínimo seria de R$ 400 e não de R$ 880. Esse projeto já foi aprovado em dois turnos na Câmara e querem aprová-lo até dia 14 de dezembro no Senado.

Reformas – As já anunciadas reformas da Previdência e Trabalhista. A primeira pretende elevar para 65 anos a idade mínima para a aposentadoria, de homens e mulheres, tanto de servidores públicos quanto os da iniciativa privada. Já a segunda quer permitir que o que for negociado entre sindicatos e patrões valha mais do que os direitos adquiridos na CLT (Convenção das Leis de Trabalho). Ou seja, não teremos mais garantidos férias, 13% salário, horas extras e outros direitos.

Terceirização – A liberação total da terceirização pode ser decidida nos próximos dias. Está prevista para 9 de novembro a votação, no STF (Supremo Tribunal Federal), do Recurso Extraordinário 958252, para derrubar decisão do TST (Tribunal Superior do Trabalho) que definiu a terceirização praticada pela Cenibra (Empresa Brasileira de Celulose) como “transferência fraudulenta e ilegal” de mão de obra, com o “nítido propósito de reduzir custos de produção”. Ou seja, se o STF não criminalizar as contratações da Cenibra como fraude, na prática será a legalização da terceirização em atividades-fim. Ou seja, na decisão de um único caso, as empresas saem fortalecidas para acabar com o emprego formal e contratar terceirizadas para todas as funções.

Direito de Greve – O STF aprovou por 6 a 4 que o poder público deve descontar o salário de servidores em greve. A decisão foi tomada um dia antes da data em que se comemora o Dia do Servidor Público, 29 de outubro, e quando a categoria está mobilizada com diversas greves e ocupações na área da educação.


Preparar as mobilizações e greves deste mês

Não podemos aceitar esses ataques que vem sendo impostos pelo governo Temer. Temos de seguir o exemplo de trabalhadores de outros países como França, Espanha e México que também estão com direitos muito parecidos que os nossos ameaçados e estão lutando nas ruas e fazendo greves.

Aqui, no Brasil, não será diferente. E não está sendo.

Ocupações – A juventude vem despontando na vanguarda das lutas com as ocupações das escolas. Semana passada o movimento das ocupações estudantis avançou, em especial, nas universidades. De norte à sul do país eram 1155 instituições de ensino ocupadas, sendo 105 universidades e cerca de 800 escolas no Paraná, Distrito Federal, Rio de Janeiro e outros estados. Além de recusar a reforma do ensino, que visa transformar a educação em simples meio para formação ideológica a serviço do mercado e dos interesses dos empresários, eles lutam contra a PEC 55.

Apoiados na força da luta e das ocupações secundaristas, universidades estão seguindo o mesmo rumo como a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), que está com 20 cursos ocupados; UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais); UnB (Universidade de Brasília), onde houve uma assembleia com cerca de 1.200 estudantes, que aprovou a ocupação da reitoria; UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco), onde a assembleia estudantil votou greve por tempo indeterminado e UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), onde ocorreram ocupações no prédio do IFCS (Instituto de Filosofia e Ciências Sociais) e também no Instituto de História.

Os trabalhadores servidores das universidades, representados pela Fasubra, já estão em greve na maioria das universidades. Docentes e funcionários de universidades e escolas técnicas também estão mobilizados.

É fundamental que esses setores, que estão à frente das mobilizações nesse momento, unifiquem e desenvolvam ações comuns na Jornada de Lutas convocada pelas centrais e que, a partir do dia nacional de lutas em 11 de novembro fortaleçam o dia 25 de novembro, convocado também convocado como Dia Nacional de Paralisações e Greves.


Da Jornada de lutas à Greve Geral

A Coordenação Nacional de nossa Central, a CSP-Conlutas, aprovou em sua reunião realizada de 21 a 23 de outubro impulsionar a Jornada de Lutas proposta pelas centrais sindicais dias antes.

Assim, neste mês de novembro, há um importante calendário a ser cumprido e todas estas iniciativas devem nos conduzir rumo à preparação de uma urgente Greve Geral que derrote os projetos do governo Temer que atacam duramente os trabalhadores.
Calendário de Mobilizações:


11 de novembro – Dia Nacional de Protestos, Mobilizações e Paralisações: impulsionaremos a participação de nossa Central especialmente naquelas categorias que já deliberaram por paralisação nesse dia, principalmente nos setores da educação e servidores públicos que estão em luta. Também garantiremos a presença da Central em atos unitários que sejam realizados.

20 de Novembro – Dia da Consciência Negra que será marcado pela Marcha da Periferia. Durante todo o mês de novembro haverá atividades e protestos que marcam a luta contra o racismo no país e por direitos de negras e negros.

25 de novembro – Dia Nacional de Protestos Paralisações e Greves: a proposta é que este dia seja fortalecido com o acúmulo das lutas em curso e das ações do dia 11 de novembro e que entrem com presença expressiva nesse dia os diversos setores privados que começam a se mobilizar, entre eles, metalúrgicos, operários da construção civil, petroleiros, trabalhadores da mineração, químicos e outros. Buscaremos realizar amplas ações conjuntas com o movimento popular.

Também vamos incorporar a luta contra a violência às mulheres como parte do Dia Latino-americano Contra à Violência à Mulher, no mesmo 25 de novembro.

Com jornais, cartazes, adesivos, campanha nas redes sociais, a CSP-Conlutas está nas ruas, nas ocupações das escolas, nas universidades, em cada local de trabalho, nas lutas por moradia e com as causas da juventude, defendendo a necessidade da realização de uma Greve Geral, já!


Essa é a nossa bandeira

Greve Geral, já! Contra as reformas da Previdência e Trabalhista! Não à PEC 241 (atual 55)! Por emprego e salário, contra o ajuste fiscal e a retirada dos direitos!

Também vamos defender um programa dos trabalhadores para enfrentar a crise cuja conta não é nossa:

– Contra as demissões e o desemprego. Redução da jornada para 36h, sem redução de salário. Extensão do seguro desemprego para um ano para todos sem nenhum tipo de carência;
– Não à carestia; Defendemos o controle e congelamento dos preços da cesta básica e tarifas públicas;
– Não ao pagamento da dívida externa; Pela auditoria da Dívida Pública e suspensão imediata do pagamento da dívida;
– Contra as privatizações e a terceirização; Reestatização de todas as empresas privatizadas.
– Não a entrega do pré sal. Contra a PL 131. Pela volta do monopólio do petróleo, Petrobrás 100% estatal!
– Prisão e confisco dos bens de todos os corruptos e corruptores;
– Nenhuma confiança na justiça do Estado burguês em defesa das liberdades democráticas;
– Reforma agrária sob o controle dos trabalhadores;
– Plano geral de obras públicas para construção de moradia popular, hospitais, creches e escolas;
– Fim dos Despejos. Redução e congelamento dos preços dos aluguéis;
– Salário igual para trabalho igual. Chega de assédio aos setores oprimidos;
– Basta de genocídio à população negra. Desmilitarização da PM;
– Unir os trabalhadores contra a violência à mulher, o feminicídio e os estupros;
– Pela criminalização da LGBTfobia;
– Não à PEC 241 (atual 55) e ao PLP 257;
– Não à MP 746 (reforma do Ensino Médio) e o PL 867 (Escola Sem Partido);
– Contra a resolução 739 do INSS que ataca direitos previdenciários.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Festa do Servidor foi um grande sucesso

#FestaDoServidor2016 foi um grande sucesso! A categoria lotou o Circulo Militar para uma momento de alegria e descontração, para recompor as energias para as lutas em defesa dos direitos da categoria! Parabéns a todos (as) os (as) servidores (as)! Confira as fotos:







sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Sindicato combativo se faz com luta e transparência!


Sindserm realiza assembleia de prestação de contas
A direção do Sindserm convocou toda a categoria para uma Assembleia Geral de prestação de contas que ocorreu no dia 27 de outubro no Auditório do Ifpi.
A divulgação se deu através de nota na Tv, rádio, cartazes nos locais de trabalho, além das mídias do sindicato.
A assembleia contou com a Assessoria Contábil da contadora Carla Mata, que na ocasião apresentou o balancete financeiro, produzido após a análise e recomendação de aprovação dos balancetes referente ao ano de 2015 pelo conselho fiscal da entidade.
Na assembleia foi apresentado pelo Tesoureiro Junior Vieira o encaminhamento da realização de uma outra assembleia devido o quórum presente. A proposta foi acatada e nova assembleia será realizada durante o dia, no Teatro de Arena com data a definir.
Segue a planilha contábil da movimentação financeira referente o ano de 2015 para apreciação da categoria.




segunda-feira, 17 de outubro de 2016

CSP-Conlutas lança carta aberta às centrais chamando a construção da Greve Geral contra as Reformas da Previdência e Trabalhista

A Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas aprovou uma carta aberta dirigida à todas centrais sindicais do país. Esta carta faz um chamado à construção de uma mobilização unitária e de uma Greve Geral contra as reformas da Previdência e Trabalhista, a PEC 241 que está em trâmite no Congresso Nacional, e o PL 257.  Esses ataques apontam um retrocesso histórico nas conquistas obtidas pelos trabalhadores brasileiros.


O texto da carta aberta segue abaixo para ampla divulgação nos meios de comunicação das entidades e movimentos:

Chamado à construção da Greve Geral contra as Reformas da Previdência e Trabalhista

Dirigimos-nos a todos os trabalhadores e especialmente às direções das centrais sindicais do país, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, CGTB, NCST, Intersindical, mas também a todas organizações do movimento popular e estudantil para que sigamos insistindo em manter todos os TRABALHADORES UNIDOS EM DEFESA DOS DIREITOS SOCIAIS E TRABALHISTAS. É hora de organizarmos uma greve geral contra as reformas da previdência e trabalhista.
O país vive uma imensa crise econômica, social e política. Já são 12 milhões de desempregados, em muitos estados os salários dos servidores está parcelado e o custo de vida aumenta a cada dia.

As Reformas anunciadas pelo governo, o PL 257, bem como a PEC 241, que impõe um limite de investimentos sociais em áreas como saúde e educação, mostram que, mais uma vez, querem jogar a conta da crise econômica nas costas da classe trabalhadora e dos mais pobres. O governo vem defendendo a aplicação de um ajuste econômico que vai implicar em cortes sociais, no rebaixamento do poder aquisitivo e na piora das condições de vida dos mais necessitados; O resultado dessa ofensiva é: Recessão, desemprego, aumento da informalidade, aumento da inflação, e mais ataques aos serviços e servidores públicos.

Os trabalhadores já demonstraram que não aceitam esses ataques e por isso, através do chamado unitário das Centrais Sindicais, já realizaram grandes mobilizações no mês de setembro: Jornada de luta em Brasília, que teve os Servidores Públicos à frente, nos dias 12, 13 e 14; Manifestações nos Estados e regionais no dia 15; Paralisações em nível nacional no dia 22 (com os trabalhadores e trabalhadoras em educação básica à frente) e a expressiva Paralisação Nacional dos metalúrgicos, realizada no dia 29, que também teve a adesão de uma parcela dos trabalhadores da Construção Civil e Petroleiros.

Demonstrando a disposição de nossa classe em lutar contra essa ofensiva aos nossos direitos, precisamos intensificar a unidade e construirmos juntos uma Greve Geral Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista!

As reformas da previdência e trabalhista, somada as outras medidas do chamado “ajuste fiscal”, irão atacar a todos os trabalhadores e aumentar o desemprego. Em particular as mulheres e mais os jovens. Só poderemos derrotá-los de forma unificada. Para isso é preciso organizarmos, todos juntos, uma mesma data para convocar uma greve geral no país. É preciso chamar reuniões comuns para organizá-la em todas as bases.

Entre inúmeras outras demandas, queremos melhores condições de trabalho, aposentadoria digna e a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução de salário e nenhum direito a menos;

Por essas propostas as centrais sindicais brasileiras, independentemente de outros posicionamentos, devem seguir unidas e manter a luta realizando greves, paralisações, atos, passeatas e manifestações por todo o país. É hora de dar um sentido político comum a essas lutas e parar país. Greve Geral, já!
São Paulo, 10 de outubro de 2016.
Sec. Exec. Nac. da CSP-Conlutas