Categoria deve decidir utilização do Imposto Sindical

#ImpostoSindical | O SINDSERM informa que desde 2014, a Prefeitura Municipal de Teresina vem dificultando a transferência do Imposto Sindical e algumas secretarias, como a SEMEC, SEMTCAS, SEMA, STRANS, FCMC, Etc. sequer depositaram os descontos feitos aos servidores.
Nesses últimos três anos, a direção do Sindicato vem cobrando a regularização dos repasses. Em 2015, foi repassado valores referentes à 2014 e em 2016 os valores referentes à 2015. Vale ressaltar que todo o dinheiro depositado segue intacto na conta do sindicato, uma vez que a categoria ainda não debateu sobre a forma de utilização desse recurso.
O Imposto Sindical é um desconto feito pelo Governo Federal, sem prévia autorização do trabalhado. Por isso, O SINDSERM, seguindo posicionamento da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas), se posiciona contra a cobrança desse imposto.
Defendemos que a cobrança do Imposto Sindical deve ser banida tanto no setor público quando no setor privado. Defendemos o financiamento feito voluntariamente pelos trabalhadores e o autofinanciamento das entidades sindicais.
Somos contra o pagamento deste imposto, pois ele está sob a tutela do Estado e compromete a independência dos sindicatos frente aos governos e patrões, além de servir para sustentar direções burocráticas, que não têm compromisso nenhum com a organização e a luta dos trabalhadores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!