Bloco de oposição da CSP-Conlutas divulga nota sobre chapa em sindicato com vereador de Bolsonaro

Nos dias 08 e 09 de agosto ocorreram as eleições do Sindicato Metabase de Itabira (MG), que representa os trabalhadores da Vale e de toda a mineração da região. A CSP-Conlutas, por orientação da sua direção majoritária, ajudou a organizar e apoiou política e materialmente a chapa 2 (Oposição Unificada – Grupos “A Voz das Minas” e “Um Novo Começo”). A chapa, como o próprio nome indica, representa uma frente unificada entre dois grupos políticos: “A Voz das Minas” – mais ligada à direção majoritária da central – e “Um Novo Começo” – dirigida pelo ex-mecânico da Vale e vereador André Viana (PR).

Poderia ser uma situação normal no movimento sindical, se a composição entre os dois grupos não fosse um acordo sem princípios e em total desacordo com a política da central, uma vez que André Viana, eleito presidente do sindicato pela chapa 2, não fosse um vereador de extrema direita, pertencente ao grupo político de Jair Bolsonaro e defensor de muitas dos principais ataques à classe trabalhadora e aos direitos democráticos no país.

O vereador, em seu curto mandato, tem já em seu currículo a defesa da aplicação do projeto Escola Sem Partido em sua cidade, a realização da Marcha da Inocência (que visava “defender” as crianças da influência LGBT), a defesa do aumento da repressão sobre o povo pobre e toda a pauta de extrema direita da cidade (inclusive com a tragicômica “inauguração” do outdoor de Jair Bolsonaro em Itabira).

Acreditamos que foi um erro grave da direção majoritária da CSP-Conlutas, que alertada com antecedência da gravidade política da composição, decidiu ainda assim manter o apoio político e material à chapa 2.

Bloco Somos Tod@s Csp-Conlutas*

*O Sindicato das(os) Servidoras(es) Públicas(os) Municipais de Teresina (SINDSERM) compõe o Bloco que é oposição da composição majoritária da atual direção da CSP-Conlutas nacional.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.