SINDSERM denuncia a inconstitucionalidade do ridículo reajuste de 6,5% que Firmino Filho (PSDB) quer conceder a servidores.


Diretores do SINDSERM estiveram em reunião com a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de Teresina e os secretários municipais de Educação (Paulo Vilarinho) e da Administração (Sérgio Honório). Na reunião discutiu-se a inconstitucionalidade do projeto de lei com reajuste de apenas 6,5 para os servidores municipais, excluindo o magistério. Para a PMT, o magistério municipal já teria sido contemplado com a concessão de 7,97% referente à adequação do piso.

Entretanto, assessoria jurídica do SINDSERM contra-argumento que esta artimanha do prefeito Firmino Filho (PSDB) é ilegal, uma vez que desrespeita a regra geral da linearidade do servidor público, que diz que o reajuste deve ser dado a todos os servidores no mesmo percentual indistintamente.  Os 7,97% concedido ao magistério foi apenas a adequação ao piso nacional da categoria, sendo assim qualquer que seja o reajuste concedido aos servidores agora não poderá excluir nenhuma categoria.

Queremos salientar que em nenhum momento concordamos com o irrisório percentual de 6,5% que a PMT pretende conceder.  "Nossa reivindicação desde o começo é de 46,49% e até agora o Firmino não nos chamou para a negociação, mesmo com a suspensão da greve.  Dia 16 deste mês haverá nova assembleia e não descartamos o retorno ao movimento paredista" afirma Sinésio Soares, presidente do SINDSERM.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!