SINDSERM NA REUNIÃO DA COORDENAÇÃO NACIONAL DA CSP-CONLUTAS

O SINDSERM participou da Reunião da Coordenação Nacional da CSP-CONLUTAS que ocorreu nos dias 06, 07 e 08 de novembro, para fortalecer os debates relacionados aos problemas da classe trabalhadora no Brasil e construir atividades de luta em âmbito nacional, estadual e local. Representaram o sindicato a presidente Letícia Campos, a diretora de assuntos culturais Carmem Célia e o diretor de assuntos jurídicos Aderlam Galvão. 

A importância da participação nesse evento se dá pela conjuntura de ataques que estamos sofrendo, em decorrência da crise gerada pelo sistema corrupto e que visa precarizar os serviços públicos para beneficiar as empresas terceirizadoras e a privatização dos serviços.

A CSP-CONLUTAS vem organizando diversas entidades sindicais, populares e movimentos sociais para um enfrentamento unificado contra os ataques sofridos pela classe trabalhadora e em junho de 2015 realizou o seu II Congresso Nacional para fortalecer as lutas necessárias.

Em Teresina, a gestão de Firmino Filho (PSDB) vem aplicando uma política de ampliação da terceirização dos serviços e tentativa de privatização, como ocorreu com o processo de privatização da UPA e de todo o serviço de saúde municipal (barrado pela luta das entidades sindicais, trabalhadores e intervenção do MPE e MPT). Na educação há o início da privatização com o programa do Instituto Alfa e Beto (que destina anualmente mais de 2 milhões de reais à iniciativa privada) e através da Ação Social Arquidiocesana - ASA já destinou mais de 30 milhões de reais para Parcerias Público-Privadas - PPP (herança de FHC/PSDB) para a execução de serviços que já existem em Teresina pela SEMTCAS e SEMEC, mas que não são estruturados propositalmente para justificar os "investimentos". 

Um desses projetos absurdos é o programa eleitoreiro "Amor de Tia", organizado e executado pela Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres - CMPPM (gerenciado pela ASA), que vem para atender as mais de 3.500 crianças entre 0 a 3 anos que ficaram de fora dos Centros Municipais de Educação Infantil - CMEIs por uma decisão política do prefeito em conunto com o secretário ilegal no cargo Kleber Montezuma, em não oferecer vagas de matrículas para essa faixa-etária.

A gestão de Firmino Filho (PSDB) visa o enriquecimento de seus financiadores de campanha donos das empresas terceirizadoras, programas educacionais privados e parceiras com a igreja católica através do padre Tony/ASA.

Precisamos rearticular as lutas contra todos os ataques e a participação na Reunião da Coordenação Nacional da CSP-CONLUTAS é imprescindível para uma articulação nacional.

Em novembro daremos continuidade nas atividades de luta e contamos com a presença de todos.


SINDSERM Gestão Base em ação: avançar com lutas! TODOS JUNTOS SOMOS FORTES!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!