Servidores municipais de Teresina fazem protesto na Frei Serafim


As servidoras e os servidores públicos municipais de Teresina de todos os setores (STRANS, educação, saúde, administrativos, dentre outros) reuniram-se em Assembleia Geral com paralisação na manhã desta quarta-feira (19/03), no Teatro de Arena, para deliberarem sobre a pauta de reivindicações protocolada para o prefeito Firmino Filho (PSDB) e aos constantes ataques sofridos pela categoria e pelo SINDSERM. Após a assembleia, seguiram em passeata pelo centro de Teresina e protestaram em frente à Prefeitura Municipal - PMT e Secretaria de Administração – SEMA, contra o uso da força policial na manifestação de segunda-feira (17/03), bem como a apropriação indébita do desconto sindical por parte da PMT.

A passeata seguiu até o Palácio de Karnak, onde denunciaram as péssimas condições de trabalho das escolas estaduais e a utilização da Polícia Militar  para a repressão dos movimentos sociais. A manifestação continuou até a avenida Frei Serafim ("avenida dos Indignados", como ficou conhecida após o #contraoaumento), com diversas denúncias, tais como a utilização irregular das câmeras de monitoramento para a aplicação de multas, o rebaixamento de  investimentos estruturantes devido à COPA e o rebaixamento ilegal dos 19% para somente 8,32% referentes ao reajuste do Piso Nacional do Magistério, que compõe a pauta de reivindicações do calendário da Paralisação Nacional também convocada pela CSP-Conlutas.

Foi aprovado o calendário de lutas e a campanha salarial da categoria para o ano de 2014, que acumula perdas de mais de 43% ao longo gestões do PSDB. Também foram aprovadas paralisações setoriais de advertência, a fim de pressionar a prefeitura a vir à mesa de negociação com resolutividade. A primeira paralisação será na STRANS, com greve de três dias começando na próxima segunda-feira (24/03).  
Está previsto também paralisações no HUT e na Educação municipal.

A próxima assembleia será no dia 11 de abril, conhecido na categoria como o dia da Infâmia Municipal.  A data lembra o fatídico 11 de abril de 2002, quando o prefeito Firmino Filho (no seu primeiro mandato) mandou a PM massacrar os servidores e as servidoras municipais em frente à Câmara Municipais.

Para esta assembleia foi aprovado o indicativo de greve geral, caso não se tenha resposta para a pauta de revindicações das categorias de servidores municipais já entregue ao prefeito de Teresina

SINDSERM - Base em Ação - Avançar com Lutas!






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!