Servidores da GEVISA tem seus trabalhos paralisados e denunciam precárias condições de trabalho.




A Gerência de Vigilância Sanitária (GEVISA), órgão da prefeitura de Teresina que inspeciona o comércio de alimentos em nossa cidade está com seus trabalhos paralisados por culpa da intolerância do presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), o médico Noé Fortes.  Desde julho de 2013 uma pauta de reivindicações foi entregue à FMS, sem sequer haver uma resposta até hoje.  No dia de ontem houve uma reunião com o Noé Fortes mas sem que haja nenhum avanço nas negociações, na verdade eles pediram mais um prazo para “análise jurídica”, afirma o presidente.  Por conta do descaso do gestor da saúde municipal a GEVISA parou 100%, os servidores fizeram um piquete que garantiu que nenhum abatedouro funcionasse na cidade de Teresina.

Os servidores da GEVISA denunciam que os plantões dos veterinários e auxiliares de inspeção não estão sendo pagos.  Os servidores reclamam de condições precárias de trabalho, da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Exigem a regularização da jornada de trabalho, o pagamento de plantões trabalhados com garantia de pagamento durante as férias.  Eles afirmam que há uma ameaça de retirada de gratificação de insalubridade, denunciam ainda a falta de escolta para as fiscalizações de rua e da carência de profissionais para a fiscalização adequada em toda Teresina.

Ficou marcado para esta segunda, 14 de abril, uma reunião para acertar os próximos passos

  • E Assrmbleia Geral 12.05.2014!
    Se cuida Firmino e seus apoiadores!
    Sindserm: gestão base em ação - avançar com lutas!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!