Ministério Público do Trabalho tenta acordo para realizar as eleições ainda em 2013 mas Comissão Eleitoral resolve adiar as eleições!





ACORDO PARA REALIZAÇÃO DAS ELEIÇÕES EM 2013 É RECUSADO PELA COMISSÃO ELEITORAL E PELA CHAPA 33

        O Procurador do Trabalho, Dr. Ednaldo Rodrigo Brito da Silva, convocou reunião entre os membros da Comissão Eleitoral, Presidentes das Chapas 10, 12, 22 e 33, para uma tentativa de acordo que viabilizasse a realização das eleições do SINDSERM ainda em 2013.
Reunião no MPT no dia 09/12/13 
         
      A iniciativa partiu do Presidente do SINDSERM, Sinésio Soares, que procurou o Ministério Público do Trabalho para buscar um acordo que não prejudicasse a categoria, uma vez que a realização das eleições nas férias prejudicaria a participação da categoria e o mandato da atual gestão encerra no dia 07 de janeiro de 2014.
             
       O adiamento das eleições ocorreu porque a Comissão Eleitoral alegou conflito de competência por conta de duas decisões judiciais acerca da impugnação da Chapa 12, que foi solicitada pelas Chapas 22 e 33. A chapa 12 recorreu à justiça comum e à justiça do trabalho. A justiça comum decidiu contra a impugnação e suspendeu as eleições por 30 dias, ou seja, até o dia 16 de dezembro. A justiça do trabalho suspendeu por tempo indeterminado, até o julgamento do mérito.

             O Procurador, autor da ação que gerou a suspensão das eleições por tempo indeterminado, propôs a celebração de um ACORDO PARA A REALIZAÇÃO DAS ELEIÇÕES A PARTIR DO DIA 16 DE DEZEMBRO DE 2013, conforme decisão da justiça estadual. Infelizmente, 02 (dois) membros da Comissão Eleitoral e a Chapa 33 não concordaram com o acordo. 

            Todas as outras chapas aceitaram a celebração do acordo, inclusive a chapa 22, que foi uma das autoras do pedido de impugnação que gerou o adiamento das eleições, entendendo que traria prejuízos maiores à categoria.

            Diante desse posicionamento, a ata foi assinada (veja os posicionamentos em anexo) e as eleições estão adiadas até que a Comissão Eleitoral resolva realizá-las. Segundo o advogado da Comissão Eleitoral, sua previsão é que as eleições deveriam ser realizadas próximo ao mês de julho de 2014 e que até ele sugere uma Junta Provisória para dirigir o SINDSERM após o fim do mandato.

            A Direção do SINDSERM continuará buscando os meios que viabilizem a realização das eleições ainda em 2013, na tentativa de sensibilizar a Comissão Eleitoral para que reveja o eu posicionamento e reflita sobre o grave prejuízo pra categoria que é a não-realização das eleições neste ano. 

           Caso não seja possível esse entendimento a categoria será convocada para decidir em assembleia qual a melhor saída para esta situação, sendo que, para os embates que virão já a partir de janeiro (campanha salarial geral, portaria nº 481, Piso do magistério em 19% de reajuste, auxílio transporte em dinheiro, PCCS agentes de trânsito, PCCS geral da saúde e etc) uma Junta Provisória seria extremamente frágil para enfrentar tantos desafios diante da ditadura do Prefeito Firmino Filho PSDB)
                     
Ata da Reunião do dia 09/12 






Comentários

  1. COMISSÃO ELEITORAL/2013: Como andam as eleições do SINDSERM!
    Como já deve ser de conhecimento de todos, ou de boa parte dos filiados ao SINSDERM, que no dia 09/12/2013, houve uma tentativa de golpe por parte da direção do sindicato que levou muitos a crerem que a Comissão eleitoral iria ceder às pressões do MPT, no sentido de a qualquer custo fazer as eleições sindicais ocorrerem até o dia 16/12/13, com a participação da chapa nº 12, que é recheada de comissionados da Prefeitura de Teresina. Sinistramente há quem defenda a participação desse tipo de pessoas em um processo eleitoral de entidades sindicais.
    O MPT, defende a tese de que não se pode julgar precipitadamente uma pessoa (no caso os comissionados), por atos que ainda não cometeram. E que devemos primeiramente esperar a desgraça acontecer par tomarmos providências a respeito.
    Quem não lembra da gestão da Graça Sousa em que cada diretor pegou emprestado dinheiro do imposto sindical (fato confessado pelos mesmos – coragem? Não, certeza de impunidade!), do Solistício que nunca participou de uma greve e também deu fim no dinheiro do imposto. Acabaram com o sindicato e ninguém pode fazer nada! Até que se tentou tirar a Graça a força, mas foi posta de volta pela justiça. Nossa bela Justiça!
    Os atos que o MPT, quer que esperemos que aconteça para depois agirmos, poderão variar desde o desvio novamente do dinheiro do Imposto Sindical que beira a casa dos R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), a perseguições dos servidores (as) pelos capachos da Prefeitura, sim pois como é que essas mesmas pessoas que hoje possuem cargo de confiança do Prefeito, vão em algum momento ir de encontro com as mazelas que hoje ocorrem e continuarão ocorrendo com a classe trabalhadora.
    Pessoas estas que nunca pisaram numa assembleia da categoria, nunca participaram de uma greve por melhores salários, melhores condições de trabalho, nunca enfrentaram a policia para defender os direitos de nós servidores. Ao contrário, estão sentados em seus gabinetes desdenhando da nossa cara!
    Os Professores e Professoras (heróis e heroínas), ainda estão em greve.
    Esta seria uma boa hora para eles mostrarem que realmente estão empenhados pela melhoria da classe. Exemplo maior seria o Senhor José de Moura mais os 10 (dez) comissionados que lhe acompanham, saírem de seus confortáveis acentos e irem intermediar com o Secretário de Educação (Cleber Montezuma), que vira e mexe está se deleitando na praça de alimentação do SHOPING, mas que não tem tempo e nem interesse para sentar com a categoria que está em greve à mais de dois meses. e negociar as reivindicações.
    E se isso não ocorre agora, imaginem só senhores e senhoras se estes “pobres e injustiçados cidadãos”, assumirem a direção de um sindicato que tem a obrigação de defender a classe trabalhadora.
    Alguns destes mesmos candidatos que se dizem injustiçados pela Comissão Eleitoral, já dilapidaram o patrimônio do sindicato, pois sumiram o dinheiro do Imposto Sindical por três anos seguidos e construíram patrimônios particulares e você servidor, não viu!
    Agora o que se houve é o discurso de que o servidor estará prejudicado se não houver eleição antes do fim do ano.
    Pura conversa fiada, pois mais prejudicada do que já está a classe trabalhadora, não pode ficar!
    As ELEIÇÕES
    As eleições do SINDSERM, só ocorrerão agora após o julgamento do processo que tramita na Justiça, que não se sabe ainda qual decisão vai prevalecer – se a da Justiça Comum Estadual ou a da Justiça Trabalhista – o importante agora é pensar em uma junta governativa que assumirá o comando do sindicato pelo período do litígio.
    Junta esta que embora não prevista especificamente no Estatuto da categoria, deverá ser decidida em assembleia geral específica para este fim, inclusive ainda podendo serem escolhidos até 6 ou 7 membros, ou até mesmo que as próprias chapas inscritas indiquem paritariamente seus representantes para compor a referida junta governativa. Fica a dica!
    Posicionamento de Washington Carlos, presidente a Comissão Eleitoral

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!