Servidores municipais votam por greve na educação!


Na Assembleia realizada hoje, 20, os(as) servidores(as) municipais da educação( merendeiras, agentes de portaria, zeladoras, secretárias, téc.administrativos, professores(as), pedagogos(as) de Teresina decidiram cruzar os braços e iniciar uma GREVE POR TEMPO INDETERMINADO! O encontro que contou com a presença de centenas de servidores ratificou a necessidade de lutarmos juntos contra o desrespeito do prefeito Firmino e de seu secretário. A próxima Assembleia da educação é quinta, 22, em frente à SEMEC.

Até o momento o prefeito de Teresina não enviou nenhuma proposta de reajuste salarial linear dos(as) servidores(as) municipais para CMT, mesmo já tendo sido anunciado, pelo secretário municipal  de administração Charles Max, ainda no mês de março, o reajuste de 6,5%. O que nem de longe consegue minimizar a defasagem salarial, que hoje supera os 43%. E assim como aconteceu em 2013, novamente o magistério corre o risco de não ser incluído no reajuste anual.

Além disso a greve é contra a implantação da  portaria(481), que desrespeita a autonomia das Escolas, fere a Lei 11.738/08 e a Lei de Diretrizes e Base  da Educação Nacional, pressionando os profissionais à ultrapassar a usa jornada diária. Como também desconsidera o horário do recreio como integrante da jornada de trabalho dos professores, prejudicando professores(as) e alunos e conseqüentemente a qualidade de ensino na rede municipal.  Com a implementação da portaria todos os trabalhadores da educação estão trabalhando além da jornada de trabalho de 8h diária.

Já faz mais de um mês que o SINDSERM enviou ao prefeito e ao secretário de educação a pauta de reivindicações dos servidores públicos municipais e até o momento não obteve resposta. Também foi feito uma tentativa de negociação com a Comissão de Educação da CMT, porém esta casa não aprovou sequer uma audiencia pública para debater a situação  da educação municipal de Teresina. Ao invés de negociar com o Sindicato, que legalmente representa a categoria dos municipais, os gestores buscam a todo custo criminalizar a organização dos trabalhadores. POR ISSO É GREVE NA EDUCAÇÃO!

                                                 Estamos em GREVE por:
·         Reajuste linear salarial dos servidores municipais de 43% com a inclusão do magistério!
·         A revogação da Portaria 481!
·         Pelo fim do Assédio Moral e perseguições!
·         Pelo fim do fechamento de escolas!
·         Fora Montezuma!
·         Fim do programa de meritocracia!
·     Repasse aos professores do valor consolidado do custo aluno do exercício de 2014(portaria MEC/nº364/28 de abril de 2014)






NEGOCIA FIRMINO!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!