JORNAL DO SINDSERM: Prefeitura de Teresina tenta criar sindicato fantasma



No último dia 14 de março, o Prefeito Elmano Férrer (PTB), tentou criar um sindicato de “mentirinha”, com o qual pretendia fingir que negociava o pagamento do retroativo da mudança de nível. O fingimento já vinha sendo utilizado na Gestão “Fazer Diferente” quando enrolaram a categoria durante os três longos anos  em que dirigiu o SINDSERM
Para executar seu plano, o Prefeito acionou Celso Henrique (PTS), Assessor Técnico de Elmano Férrer desde junho de 2010 (Dec. nº 10.466, de 21 de junho de 2010, publicado no D.O.M. do dia 02/07/10), que foi candidato a tesoureiro na chapa governista (Chapa 2), que perdeu as eleições em dezembro passado.

Servidores barrados
na porta do seu clube

Celso, que também é Presidente da UGT no Piauí (União Geral dos trabalhadores - Central Sindical governista), com a ajuda de Edmar Fernandes (Irmão de Edmo Fernandes) e publicaram “na surdina” um edital no Diário Oficial da União, em 03 de março de 2011, convocando todos os servidores técnico-administrativos da administração direta e indireta, para uma ASSEMBLÉIA GERAL, de Fundação de um Sindicato na USMT-CLUBE DO GARI.

Para se ter uma ideia de suas verdadeiras intenções, quando Celso Henrique (PTS) e Solistícios Melão eram diretores do SINDSERM, o advogado do sindicato na época chegou a fazer um Pedido de Certidão em que interpreta no item 4, que: “ ...é forçoso concluir que somente os servidores da Administração Direta serão contempladas pela sentença...” e mais adiante requer que da prefeitura  “que certifique ainda que no pólo passivo da ação ficaram excluídas as Fundações Públicas, Empresas Públicas e autarquias do Município de Teresina”.  Não há prova mais nítida do que essa, sobre o papel da Direção anterior do SINDSERM durante seu mandato. Ou seja, ajudavam a Prefeitura a NÃO PAGAR nossos direitos!

A tática utilizada para atrair as pessoas para a Assembleia foi a de convidar para um almoço dos “Amigos do Edmo”. Os servidores, já sabendo da tramóia, entregaram os convites para o SINDSERM e foram para o Clube votar contra o desmembramento da nossa entidade. No entanto, quando lá chegaram foram impedidos de entrar. O Diretor  Chiquinho, que também foi convocado para a Assembleia pelo edital, pois é motorista da SEMEC, foi agredido quando tentava entrar no recinto.
Convite para o falso almoço
dos "amigos do Edmo"
A Polícia Militar foi chamada por populares e, após a explicação de que os servidores estavam sendo impedidos de participar da assembléia, garantiu a entrada do Presidente do SINDSERM, Professor Sinésio Soares e da Advogada Adonyara Azevedo. Os representantes do SINDSERM identificaram os dirigentes da USMT, que afirmaram, na presença dos policiais (tudo foi filmado e fotografado) que não houve nenhuma assembléia naquele local, apenas um almoço.

Na saída, alguns servidores informaram que os serviçais do Prefeito estavam colhendo assinaturas desde o dia anterior. Estes atos ilegais e imorais serão combatidos pela Direção do SINDSERM, na defesa dos interesses da categoria. Após o episódio, foi registrado um Boletim de Ocorrência pela agressão sofrida por Chiquinho e um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) para registrar que não houve Assembleia e, portanto, não foi fundado nenhum sindicato.

Fonte: Jornal do SINDSERM

Obs.: Já tivemos notícias de que o tal sindicato (fantasma) já foi até registrado cartório, mas nós já estamos tomando as providências cabíveis, pois sabemos (e temos provas) de que a assembleia prevista no edital não ocorreu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!