Assembleia Geral do SINDSERM reuniu mais de 700 servidores e servidoras municipais




A primeira Assembleia Geral da gestão SINDSERM de volta para as lutas entra para a história do Sindicato com a participação de mais de 700 servidores que assinaram a ata no Teatro de Arena e ainda no turno da tarde estiveram na sede confirmando presença, tamanha foi a participação da categoria. Iniciada pontualmente às 8h30, a Assembleia Geral teve como pautas: campanha salarial 2017, ação dos níveis, precatório do FUNDEF, entre outros assuntos que foram apresentados e devidamente votados pelos presentes.

Reunindo servidoras e servidores de diversos setores municipais, a Assembleia Geral foi momento de fortalecimento da categoria que estava desmobilizada nos últimos anos. A nova gestão renova o compromisso de construir, juntamente com a base, as lutas que deverão trazer as vitórias necessárias.

Em um momento de grande demonstração do cansaço da categoria com os inúmeros casos de assédio moral e precarização das condições de trabalho, a assembleia aprovou a retomada da campanha FORA MONTEZUMA. Foi firmado também o compromisso do Sindicato em promover a formação das (os) servidoras (es) a respeito da Reforma da Previdência e suas consequências devastadoras para a classe trabalhadora. Álbum de fotos completo no Facebook do SINDSERM: http://migre.me/wfdkz.

Ato público

Seguindo o calendário nacional de lutas dos movimentos sociais, o SINDSERM convocou a categoria para a participação no ato público contra a Reforma da Previdência após a Assembleia Geral. O movimento parou o centro da cidade durante a manhã desta quarta-feira (15) em uma forte mobilização das (os) trabalhadoras (es) contra o projeto que retira os direitos da classe à aposentadoria digna e justa e promove o desmonte da previdência pública.

Participaram do ato servidoras (es) públicos municipais de Teresina, estaduais, federais, representantes do SINTECT, SINDISPREV, SINDIFPI, ADCESP, ATEPEPI, ADUFPI, SINTUFPI, ANDES, Ruptura Socialista, RUA, PSTU, Insurgência/Psol, ANEL, PCB, Unidade Classista, Intersindical, CSP-Conlutas, MAIS, Sindicato dos Bancários e componentes do Fórum Piauiense em Defesa da Previdência Pública. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!