Na manhã do Dia Internacional de Luta da Mulher Trabalhadora, SINDSERM iniciou agenda de atividades

No Dia Internacional de Luta das Mulheres Trabalhadoras, a diretoria de assuntos da mulher trabalhadora do SINDSERM programou três atividades para reunir as mulheres trabalhadoras do município. A agenda começou pela manhã com um café, seguido de roda de discussão com o tema "Os direitos da mulher e o combate ao machismo". As mulheres fortaleceram a organização para compor o ato público com movimentos sociais na Frei Serafim, às 16 horas, e para um debate na sede do SINTECT-PI, às 18 horas.

O debate “Os direitos da mulher e o combate ao machismo" foi facilitado por Israela Ferreira, militante feminista e estudante do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e pela diretora de assuntos da mulher trabalhadora do SINDSERM, Olívia Raquel.“Durante muito tempo a mulher teve sua luta reprimida e agora nós temos a necessidade de fazer esse momento para fortalecer e estender a programação para o ato em conjunto com outras entidades que promovem a luta da mulher trabalhadora. É importante destacar que vem vindo mais uma forma de exclusão dos direitos da mulher com a Reforma da Previdência. Precisamos fortalecer a nossa luta”, declarou Olívia.

Durante o encontro pela manhã, as mulheres expressaram as opressões sofridas diariamente e descreveram sua luta na sociedade com palavras que ajudaram a formatar o debate central. Para Marília Ribeiro, uma das servidoras participantes, foi uma oportunidade de falar sobre a luta diária, pois “nós mulheres devemos estar unidas, pois só assim é que conseguiremos mais conquistas nessa jornada”.

Israela comentou que a participação do SINDSERM nós três momentos demonstra um pontapé para que as mulheres contribuam com a atual direção do Sindicato e também em outros espaços. “A partir daqui, conseguimos fortalecer as mulheres do Sindicato para cumprir a agenda de atividades programada para hoje. Foram tiradas ideias como a criação de uma biblioteca de estudos para as mulheres, criação de um grupo de discussão e outras atividades voltadas para a luta das mulheres”.






















Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!