Servidoras (es) do SAMU conquistam retorno de gratificações após adesão à Greve da Saúde Municipal e decidem participar de mobilizações do dia 28 de abril

Após uma semana de mobilização intensa da categoria de servidoras (es) que compõem o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Teresina (SAMU), o movimento conquistou a devolução das gratificações retiradas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) sem qualquer justificativa. O Sindicato das (os) Servidoras (es) Públicas (os) Municipais de Teresina (SINDSERM) garantiu a devolução dos valores na sexta-feira (07), com fixação de calendário para o pagamento mensal e negociação sobre reivindicações de toda a categoria de servidores municipais para o dia 24 de abril na Secretaria Municipal de Administração (SEMA) e demais secretarias.

O SAMU aderiu à greve da saúde municipal na última terça-feira, 4 de abril, para exigir da Prefeitura de Teresina e do presidente da FMS, Sílvio Mendes (PP), a devolução imediata da gratificação que agora terá como data fixa para ser depositada nos contracheques, o segundo dia útil de cada mês. A categoria apresentou uma série de reivindicações por melhores condições de trabalho, aquisição de novas ambulâncias ainda neste ano, aumento na equipe de motolâncias, regularização da profissão de condutor, melhorias estruturais na central, além do retorno da gratificação de incentivo SUS. O movimento fortaleceu a greve da saúde municipal em curso desde o dia 10 de março.

População em apoio à categoria




O SINDSERM, em diálogo com a categoria, decidiu por encerrar a adesão ao movimento após a devolução das gratificações na sexta-feira, dia 7. A categoria entende que mantém o respeito à população que necessita do atendimento que chega a realizar mais de seis mil ocorrências mensais e mesmo assim continuará vigilante para que todas as pautas sejam atendidas e as negociações sejam garantidas.



Mesmo após o retorno das atividades no SAMU, a justiça notificou o SINDSERM, às 9h11 desta segunda-feira (10), sobre uma possível ilegalidade do movimento, alegando que o SAMU estaria em greve. O SINDSERM esclarece que a decisão foi um equívoco, pois a greve em curso diz respeito à categoria da saúde municipal e o SAMU apenas aderiu ao movimento como parte dessa categoria, tendo retornado plenamente às suas atividades logo após a devolução das gratificações.

Construção da Greve Geral e próxima paralisação

Uma próxima paralisação no SAMU Teresina está marcada para 28 de abril, seguindo o calendário nacional que tem a data marcada para a greve geral de trabalhadores em todo o Brasil, convocados pelas centrais sindicais, contra as reformas da Previdência e Trabalhista.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!