Assembleia decide pela continuidade da Greve da Educação Municipal e marca novo encontro







Durante Assembleia Geral desta segunda, dia 09 de abril, os servidores da educação municipal de Teresina decidiram pela continuidade do movimento grevista, que já dura mais de dois meses. A categoria marcou um novo encontro para esta quarta, 11, Dia da Infâmia Municipal. O local será no Teatro de Arena a partir das 8:30h.

A GREVE CONTINUA! ELMANO A CULPÁ É SUA!

O prefeito fora da lei vem a todo custo tentando desmobilizar a categoria aguerrida, que há mais de dois meses em greve. Principalmente pelo cumprimento da Lei federal 11.738/2008. Lei que trata do piso salarial dos professores e do cumprimento do 1/3 do horário pedagógico.

O GOLPE NÃO LIMITA UM REAJUSTE MAIOR

O golpe aplicado pelo prefeito e consentido pela maioria dos vereadores de Teresina, o reajuste linear de 6,22% para todos os servidores, não limita a concessão de reajuste para a categoria em greve. O prefeito a qualquer momento pode cumprir a Lei 11.378, e pagar os R$ 1937,26 reivindicados pela categoria, pois esta lei de 2008. O que não existe por parte da administração de Teresina é vontade política, e sabemos qual o motivo disso.

O prefeito e seus secretários mentem ao afirmar que já pagam o piso rebaixado pela AGU/MEC de R$ 1451,00. A lei 11.378/2008 é bem claro, quando diz que o valor estipulado para o piso tem que ser pago diretamente no VENCIMENTO e não na REMUNERAÇÃO como a administração está tentando enganar a população.

Sobre a "ilegalidade" da greve da educação municipal, o que está sendo noticiado não se trata de decretação de ilegalidade, pois NÃO EXISTE APRECIAÇÃO DO MÉRITO DA QUESTÃO, ou seja, os profissionais lutam pelo CUMPRIMENTO POR PARTE DA PMT DE UMA LEI FEDERAL, referente ao piso nacional e do cumprimento do 1/3 Horário Pedagógico destinado às atividades  extraclasse. O que dá legitimidade ao movimento grevista.

Nem mesmo o Sindicato foi ouvido pelo desembargador que proferiu a decisão. O texto encaminhado pela justiça trata da solicitação de suspensão com pena de multa para o SINDSERM. O SINDSERM já está recorrendo da decisão.

CORTE DO PONTO

Outra forma de terrorismo implementada pela PMT é que irá fazer o corte do ponto dos servidores que não voltarem à sala de aula.

Não há nenhuma determinação legal de corte de ponto. O texto da decisão do desembargador Sebastião Ribeiro Martins é muito claro: “Deixo de analisar o pedido de desconto dos dias trabalhados, neste momento, uma vez que, em ora haja previsão legal de tal medida, observa-se a possibilidade de reposição efetiva das aulas.”

Por isso o que está sendo colocado na imprensa é terrorismo barato e que não vai intimidar a categoria, que só essa decide quando a greve deve acabar. 

DIA DA INFÂMIA MUNICIPAL

No dia 11 de abril de 2002 o prefeito Firmino Filho(PSDB) e, que hoje fica tentando ludibriar os servidores com falsos discurssos, mandou a polícia militar bater em servidores com o consentimento do presidente da Câmara na época, Fernado Said.  Nesse sentido estaremos lembrando com luta esse dia. 

TODOS À ASSEMBLEIA GERAL NESTA QUARTA, DIA 11, NO TEATRO DE ARENA, A PARTIR DAS 8:30

A GREVE CONTINUA! ELMANO A CULPA É SUA!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!