Depois do #contraoaumento, um novo golpe (do prefeito Elmano Férrer)!


Por Rômulo Maia.
Depois do golpe no #contraoaumento, quando negociou
apenas com entidades aliadas à sua gestão, o prefeito
Elmano Férrer repete a dose com os servidores da Educação. 

Em release encaminhado à imprensa na noite desta
quarta-feira (25), a PMT informa ter concedido reajuste
de 22,22% para a categoria. 

O teor da decisão, entretanto, foi ignorado no comunicado
oficial, que dedica cinco dos seus seis parágrafos
à criminalização da greve. 

Destaque, nas palavras dos assessores da PMT, para quem
"negociou" com Elmano Férrer: “(...) uma comissão mista de
servidores da educação municipal, formada por professores,
pedagogos, técnicos, representantes da Câmara do Fundeb
e do Conselho Municipal de Educação
que discordam do direcionamento político que
o movimento promovido pelo sindicato tomou
.”

Significa, em palavras melhor mastigadas, que a gestão
de Teresina só se reúne com quem acata suas decisões.
As vozes discordantes, seguindo esse raciocínio, são (e serão!)
ignoradas. 

Em um regime democrático, isso é péssimo!

Fonte: Blog Pisei Chão


Abaixo o release que a assessoria de comunicação da Prefeitura de Teresina enviou à imprensa com todas as suas mentiras:

"Elmano concede aumento de 22,22% para professores

O prefeito Elmano Férrer anunciou nesta quarta (25) a proposta do novo de reajuste salarial de 22,22% linear para os professores da rede pública municipal. A proposta deverá ser encaminhada em regime de urgência para aprovação da Câmara Municipal.

O anunciou do novo reajuste foi comunicado durante encontro que o prefeito teve com uma comissão mista de servidores da educação municipal, formada por professores, pedagogos, técnicos, representantes da Câmara do Fundeb e do Conselho Municipal de Educação que discordam do direcionamento político que o movimento promovido pelo sindicato tomou. 

“Antes apoiava o movimento promovido pelo sindicato, mas quando percebi os interesses ideológicos e políticos por trás da greve resolvi me afastar”, confessa o professor José de Jesus, mais conhecido como professor JJ, que trabalha na escola O. G. Rêgo de Carvalho, localizada na zona Sudeste de Teresina.

O professor JJ lembra que à época em que fazia parte do movimento liderado pelo sindicato chegou a ouvir alguns membros do grupo defender a tese de inviabilizar o ano letivo e atribuir tal culpa ao prefeito Elmano Férrer. “Para mim isso é um absurdo. O interesse deixou de ser coletivo para ser individual”, frisa.
De acordo com o prefeito Elmano Férrer, valorizar a educação é uma das principais metas abraçadas por ele desde quando assumiu a Prefeitura há dois anos. “A prova disso é que nesses 24 meses os professores tiveram um ganho real sobre seus salários como jamais ocorreu anteriormente”, justifica Elmano.

Além de melhorar o salário dos professores, o prefeito ainda lembrou dos avanços na infraestrurura implementados nos últimos dois anos. Ele citou a climatização das salas de aulas e sua meta de levar essa melhoria para as 304 escolas do município e ainda citou a melhoria da merenda escolar. “É muito gratificante entrar em uma escola e perceber que as crianças estão recebendo um tratamento digno, como elas merecem. A minha meta é poder melhorar ainda mais essas condições e expandi-las para todas as escolas tanto da zona urbana como rural de Teresina”, finaliza Elmano".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.