Encontro garante a adesão em massa das pedagogas e dos pedagogos à greve da educação municipal


Realizado na última quarta-feira (23), o II Encontro de Pedagogas e Pedagogos da Rede Municipal de Educação de Teresina, pode ter sido um divisor de águas na luta dos profissionais em educação na capital do Piauí. Marcado pelo sucesso, o Encontro serviu para que se combatesse uma das principais políticas opressoras da PMT, que é a divisão dos trabalhadores e das trabalhadoras.
Pedagogas(os) tiveram papel
decisivo na ocupação da CMT
A SEMEC sempre investiu pesado na rivalidade entre pedagogos(as) e professores(as) alimentando o estigma de que aqueles profissionais sempre seguem os ditames "semequianos" e que seriam inimigos dos segundos.  Para combater isto, dentre as principais deliberações do Encontro de Pedagogas(os) foi a adesão destas e destes profissionais à greve e da educação municipal e o combate à portaria 481, que aumenta de 50 para 60 minutos a unidade de aula.

O encontro também serviu de mobilizaçao para a ocupação da Câmara Municipal de Teresina ocorrida na sexta, 25, sendo que dos ocupantes do plenário aproximadamente 50% eram pedagogos e pedagogas. Assim a categoria sentindo-se mais fortalecida em seu movimento paredista decidiu manter a greve e chama para uma assembleia nesta terça-feira, 29 de outubro, em frente à SEMEC.



RESOLUÇÕES DO II ENCONTRO DE PEDAGOGAS(OS)

a)    Reafirmarmos a autonomia pedagógicae administrativa das escolas ( Art. 15 – LDBEN 9394/96);
b)  Garantir a luta pela aplicação dentro da jornada de trabalho de tempo equivalente a 1/3 da jornada reservado para estudos e planejamentos
c)     Lotar nomínimo, uma pedagoga (o) por escola eCMEIS
d)    A cada 10 turmas lotar mais uma pedagoga na unidade de ensino;
 e) Promover mobilizações jurídicas e politicas para reversão do fim daaposentadoria especial para pedagogas(os) da rede municipal de educação.
f)       Fortalecer as lutas e campanhas organizadas pelo SINDSERM e CSPCONLUTAS.
g)      Lutar pela aplicação do piso 11.738/2008 – 1/3 p da carga horária para professoras(es) e pedagogas(os).
h)      Não adaptar a carga horária das escolas e CMEISà portaria 481/2013 que fere a LDBEN 9394/96 e a Lei 11738/2008.
i)        Já existe mandado de segurança;
j)        Aplicar abaixo assinado rejeitando h/a de 60min
k)      Lutar pela manutenção da h/a como máximo de 50min;
l)        Esclarecer os prejuízos da portaria e publicar em jornal de circulação local;
m)    Reafirmar que somos profissionais concursados regulamentados no termo de adesão a posse do concurso público. Não assinar contratos de gestão pedagógica impostos pela SEMEC;
n)      Reafirmaro pedagogo (a) como profissionais do magistério;
o)      Pela anulação do leilão de Libras. 10% do Pib já, royalties do petróleo é migalha para educação.
p)      Considerando a perda da aposentadoria especial, incorporar na pauta, o debate sobre a remuneração diferenciada do piso do professor, a maior. Tendo como referência mínima os maiores valores de DAM ou GE. E seguir paralelo a luta pela incorporação da aposentadoria especial para pedagogoas(os) .


Antes, no domingo, 27, haverá a grande festa do servidor público municipal no Círculo Militar com música ao vivo e entrada franca para os servidores e a família.

A GREVE CONTINUA. FIRMINO, A CULPA É SUA!

SINDSERM (filiado à CSP-Conlutas)
Gestão Base em Ação, Sindicato é pra lutar!

Por Márcio Carvalho

Comentários

  1. SERIA MUITO BOM SE O SITE FOSSE ATUALIZADO COM FREQUENCIA, A DEMORA NA ATUALIZAÇÃO NOS DEIXA SEM AS INFORMAÇÕES MAS IMPORTANTES, TERMINANDO POR SABER POR MEIOS DE POUCA CONFIANÇA SOBRE NOSSA GREVE. ATUALIZEM POR FAVOR.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!