Greve da Educação Municipal avança e professores(as) aderem cada vez mais!

21 dias de Greve ampliando conquistas e adesões

Unanimidade na aprovação da Greve
        Durante a Assembleia realizada nesta sexta-feira, 18 de outubro, na frente da SEMEC foi aprovada a continuidade da Greve da Educação Municipal. 
         Professores(as) de 08(oito) escolas que ainda não haviam aderido à greve informaram que a partir de agora ficarão em greve até o cumprimento da decisão judicial ratificada pelo Pleno do Tribunal de Justiça em 09 e setembro deste ano.
        A categoria comemorou a manutenção da hora-aula de 50 minutos e se comprometeu em manter o engajamento nas mobilizações para conquistar definitivamente a vitória na greve, revogando a Portaria nº 481 publicada ilegalmente pelo secretário Montezuma e derrotando a política de assédio moral do prefeito "Fingindo" Filho (PSDB) que se utiliza de assessores, chefes, chefetes e diretores(as) para aterrorizar servidores(as) para que não lutem pelos seus direitos.
Propostas  da base reforçam a luta
        Através da pressão da greve já foram pagos dois meses do retroativo do piso de 2012 e publicadas 250 mudanças de nível que estavam mofando na mesa do prefeito. 
    O retroativo do piso não foi pago corretamente, pois não incluíram no cálculo a titulação, que é vinculada ao vencimento. Também não pagaram os inativos, numa atitude que se repete e representa o desrespeito da gestão tucana com os aposentados.
      A SEMA se comprometeu a enviar a relação de 240 inativos que ainda estavam na ativa nos meses de janeiro a abril de 2012 e que, portanto são de responsabilidade da SEMA para o pagamento do retroativo. Os outros aposentados deverão receber do IPMT. O SINDSERM exige que seja pago em folha suplementar tudo o que ficou pendente do retroativo.
           
Protesto na SEMEC expressa indignação contra secretário e prefeito do PSDB!

Corpo de Bombeiros aqui não passa. O protesto é nosso!
      A Rua Areolino de Abreu foi interditada com pneus em fogaréu para registrar a indignação com o desrespeito à legislação e às decisões judiciais, por parte da administração tucana. 
     O Corpo de Bombeiros foi chamado para a apagar o fogo, mas a categoria não permitiu pois não oferecia nenhum risco, uma vez que a rua estava bloqueada.
       Com os cartazes da greve foi realizado o bloqueio da rua, que garantiu a realização do ato de protesto, ao tempo em que ecava a palavra de ordem: A GREVE CONTINUA. FIRMINO, A CULPA É SUA!
     A repercussão do protesto seria ainda maior se a imprensa estivesse fazendo a cobertura da greve como deveria, afinal, a greve defende a qualidade da educação pública municipal e o cumprimento de decisão judicial.   
    A informação que recebemos é que a imprensa está bloqueada e impedida de falar sobre Firmino, Montezuma e a Greve da Educação Municipal. No entanto, nada fala mais alto numa greve do que uma escola em que os professores vão às ruas lutar contra a destruição da qualidade do ensino da educação pública. A grande adesão à greve forçosamente irá derrubar o tirano que responde pela SEMEC e se nega a atender à pauta de reivindicações, cumprir a decisão judicial do HP e deseja perpetuar o assédio moral que torna cada vez mais forte a campanha FORA, MONTEZUMA!
Imprensa
        Diariamente vem surgindo denúncias de desvios de recursos públicos por parte de assessores de Firmino. Montezuma é apontado como o principal responsável por estes desvios.              Na Assembleia desta sexta-feira, a categoria teve acesso a mais uma informação de que o secretário está sendo acusado de não dar publicidade a uma licitação no valor de 16 (dezesseis) milhões de reais. Ou seja, além de não cumprir decisões judiciais, o assessor de Firmino(PSDB) aparece cada vez mais envolvido em denúncias como esta que chegou ao Ministério Público.
      A cada dia mais professores percebem que a vitória está próxima e que devem dar uma lição de luta para a cidade de Teresina, contra os saqueadores dos cofres públicos.
Rua interditada para o protesto
















Novo ato na SEMEC na segunda-feira  e Assembleia na Câmara Municipal na terça-feira

       Vários encaminhamentos foram aprovados para esta nova fase de crescimento da greve. A base da categoria participa cada vez mais com sugestões e, principalmente, tomando de conta do seu sindicato para garantir novas conquistas.

 Encaminhamentos:
  • 20 bicicletas de som nos bairros para informar sobre os motivos da greve em defesa da educação pública municipal;
  • Comissão de comunicação organizará as intervenções da direção e da base na imprensa;
  • 20 mil novas cartas abertas para a população com charge do Prefeito "Fingindo" Filho (PSDB) utilizando "Monstrezuma" como escudo;
  • Caixa de sugestões e ideias para serem implementadas durante a Greve;
  • Formada Comissão de Finanças (João, Adinaldo e Georgina) para planejar os gastos da greve, priorizando o que é mais importante.
  • SEGUNDA-FEIRA, 21 DE OUTUBRO, NOVO ATO NA SEMEC,  PARTIR DAS 8 H.
  • TERÇA-FEIRA, 22 DE OUTUBRO, ASSEMBLEIA NA CÂMARA MUNICIPAL para acompanhar a votação e aprovação do requerimento da Audiência Pública, conforme prometido pela base aliada e vereadores de oposição, em compromisso assumido pelo vereador Thiago Vasconcelos com a Comissão de professores em greve.
Postado por Sinésio Soares

Mulheres na luta
A greve avança com a força das mulheres da base
Organizando a luta
Base engajada na greve


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não existe obrigatoriedade dos 200 dias letivos para os(as) professoras que trabalham nas CMEIs.

Afinal o que é o HP?

O ATAQUE AO RECREIO; O DESCANSO DE VOZ DOS PROFESSORES, - MAIS UM GOLPE DO SECRETÁRIO (DES) EDUCAÇÃO KLÉBER MONTEZUMA AO DIREITO DOS TRABALHADORES DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL!